A queda de Ronda Rousey

Na austrália, a atual campeã feminina da categoria peso-galo não aguentou a força de Holly Holm e a pugilista saiu do octógono com o cinturão

Esporte
Data: 15 de novembro de 2015
Créditos: Reprodução/Internet

O UFC 193, que aconteceu na Austrália, foi esperado com muita ansiedade desde que a luta principal foi anunciada. A queridinha de Dana White, a campeã Ronda Rousey, defenderia seu cinturão pela 7ª vez no Ultimate Fighting Championship contra a 19 vezes campeã mundial de boxe Holly Holm.

Depois de duas vitórias rápidas e contundentes em suas últimas defesas de cinturão (contra a brasileira Bethe Correia e a norte-americana Cat Zingano), “Rowdy” era mais uma vez a favorita da noite.

A campeã chegou inclusive a afirmar que a vida da oponente seria mais fácil se Holm perdesse a luta, o clima era de pura expectativa. Prova disso foi o público de 56.214 fãs, que compareceram ao Etihad Stadium, em Melbourne, na noite de sábado, 14 de novembro.

 

O confronto

A tensão começou antes mesmo do evento. Um dia antes do UFC em Melbourne, na pesagem, Rousey e Holm protagonizaram uma tensa encarada. Prestes a trocarem socos antes mesmo da luta oficial, as duas foram separadas por um atento Dana White.

Na tão esperada noite da luta, Ronda chegou ao octógono como sempre, em uma caminhada rápida, concentrada e com a raiva expressa no rosto. Antes de Herb Dean autorizar o início do embate, a campeã se recusou a tocar os punhos da adversária, em um gesto que já se tornou tradicional na lutas de Ronda.

 

Na pesagem, as duas beldades se "estranharam" e foram separadas pelo chefão do UFC.

Na pesagem, as duas beldades se “estranharam” e foram separadas pelo chefão do UFC. (Créditos: Reprodução/Internet)

 

O primeiro round foi marcado pelas investidas da atual campeã, que buscava a trocação que acabou dando a ela a chance de nocautear a brasileira Bethe Correia. Já Holly se esquivava com facilidade, mantendo uma distância segura, pronta para tirar vantagem de sua maior envergadura nas oportunidades certas. Ela chegou a acertar alguns socos na oponente, o que desconcertou Ronda, que passou a buscar mais oportunidades de levar a luta para o chão, onde é praticamente invencível.

Com Holly dando um show de técnica e controle, o primeiro assalto corria equilibrado e interessante, até que a judoca finalmente conseguir levar Holm ao chão. Rowdy se preparava para uma chave de braço, seu golpe potente e quase indefensável, que geralmente finaliza suas adversárias. O fim da luta se anunciava, mas o público foi à loucura quando a pugilista conseguiu se desvencilhar da investida e voltar a ficar de pé, chamando a luta para o alto.

 

Pagou caro

O segundo round parecia se desenrolar tão interessante quanto o primeiro. Rousey voltou mais ansiosa, com vontade de acabar a luta quanto mais cedo pudesse e de qualquer forma, mas a ânsia pela vitória custou caro para a campeã de 28 anos, que chegou a socar o ar após uma rápida esquiva de Holm.

Com menos de um minuto de round, Ronda escorregou na frente de Holly, que, aproveitando a oportunidade, acertou um potente e certeiro chute na adversária, que ainda se recuperava do deslize e caiu sem reação no chão do octógono. Sem perder tempo, a pugilista foi ao chão, socando Ronda, que foi a nocaute.

O árbitro Herb Dean encerrou a luta e Holly Holm correu pelo perímetro do octógono, sem conseguir acreditar no que ela mesma havia acabado de fazer. A categoria peso-galo feminina do UFC tinha uma nova e merecedora campeã. O público australiano assistiu em polvorosa a queda da grande campeã Ronda Rousey, enfim destronada por uma adversária à altura.

 

Ronda Rousey, ainda caída, após o nocaute aplicado pela "filha do pastor". (Créditos: Reprodução/Internet)

Ronda Rousey, ainda caída, após o nocaute aplicado pela “filha do pastor”. (Créditos: Reprodução/Internet)

 

Pós-luta

Fim de confronto, não havia nada mais a ser dito além de admitir que a luta foi um momento histórico, seja para o MMA, seja para o próprio UFC. A nova campeã da categoria chegou a abraçar a adversária após o anúncio oficial e o recebimento do cinturão. Ronda, por sua vez, de cabeça baixa, se mostrava deprimida com a primeira derrota no UFC e a perda de um cinturão que não parecia querer sair de sua cintura.

As consequências da derrota ainda perduraram para além dessas perdas, do octógono e do estádio, e Rousey saiu do estádio sangrando. Sem participar da coletiva de imprensa pós-evento (onde Dana White explicou sua ausência), ela teve que ir ao hospital, onde os médicos costuraram seu lábio inferior, partido ao meio no nocaute.

A nova campeã Holly Holm mostrou a que veio em seu primeiro desafiou e se estabeleceu como uma lutadora a ser acompanhada, derrubando a imbatível Ronda Rousey. Dana White, por sua vez, não descartou a possibilidade de uma revanche entre as duas, o que, segundo ele, faria todo sentido.

Agora, é esperar pra ver, mas não restam dúvidas de quem uma segunda luta entre Rousey e Holm seria apenas tão incrível e inesquecível quando a que agitou a Austrália na noite de sábado.

 

A nova campeã feminina da categoria peso-galo do UFC, Holly "filha do pastor" Holm. (Créditos: Paul Crock/AFP)

A nova campeã feminina da categoria peso-galo do UFC, Holly “filha do pastor” Holm. (Créditos: Paul Crock/AFP)

 

 

Barbeiro Digital