Cinco vezes Messi

Pela quinta vez, o argentino recebeu o prêmio de melhor jogador do mundo. Brasileiro Neymar foi o terceiro colocado

Esporte
Data: 12 de janeiro de 2016
(Créditos: Fabrice Coffrini/AFP)

Na tarde da última segunda, 11, a cidade de Zurique, na Suíça, sediou mais uma vez a cerimônia que, entre outras premiações, anunciou quem foi o melhor jogador do mundo no ano de 2015. Na disputa, um argentino, um português e um brasileiro.

Enquanto Neymar concorria pela primeira vez, após um ano inspirado dentro de campo, Cristiano Ronaldo via à sua frente a possibilidade de se igualar a Messi no número de vitórias do prêmio. Por outro lado, o argentino podia se isolar ainda mais e alcançar o posto mais alto pela quinta vez..

Mas, conforme as previsões do Portal Barbearia Digital, o favoritismo se confirmou e Messi ganhou, mais uma vez, o prêmio de Melhor do Mundo, mais uma Bola de Ouro para uma coleção que só aumenta. O atacante igualou seu número ao de Marta, jogadora brasileira que, no futebol feminino, também já foi a Melhor do Mundo 5 vezes.

Messi, apesar do número de gols inferior ao do segundo colocado, Cristiano Ronaldo, teve um ano daqueles e ganhou quase todos os títulos que disputou com o Barcelona em 2015, incluindo a Liga dos Campões e o Mundial de Clubes.

Já o brasileiro Neymar, apesar de fazer parte do mesmo time de Messi, ficou com apenas pouco mais de 7% dos votos em sua primeira disputa pela Bola de Ouro da FIFA.

 

 

E o Puskás?

 

Mas quem pensa que o dia foi [apenas] de Messi se engana bastante. Mas afinal, quem imaginaria que no mesmo dia em que se tornaria o melhor jogador do mundo em 2015, o argentino seria também superado?

Mas ele foi e por um brasileiro! O Prêmio Puskás, dado ao gol mais bonito do ano que passou, foi um capítulo à parte da premiação, quase ofuscando o brilho do troféu principal.

Sob os olhos atentos dos candidatos, Messi, Florenzi e Wendell Lira, o ex-jogador Hidetoshi Nakata, um dos maiores do futebol japonês, anunciou o brasileiro como vencedor. E Messi não foi o único surpreso na plateia.

O gol que rendeu o Prêmio Puskás a Wendell Lira foi marcado na passagem do jogador pelo Goianésia, time do interior de Goiás, em jogo contra o Atlético Goianiense. Na ocasião, ele correu de costas para receber um passe açucarado na grande área, acertando, na sequência, uma difícil bicicleta.

Lira, visivelmente emocionado, subiu ao palco para receber o troféu que conquistou com mais de 40% dos votos pela internet. No topo, ele agradeceu a esposa, a torcida, aos votos e até citou a história de Davi e Golias, sob os olhares de jogadores como Marcelo, que mal conseguia esconder a própria emoção, Kaká e Eto’o.

Mais que de um brasileiro, foi a vitória de um personagem humilde, com um futebol que todos gostam de ver. Confira o discurso emocionado (e emocionante) de Wendell Lira:

 

 

Barbeiro Digital