Deixa a tocha passar

Sem trocadilhos, a chama simbolíca acendeu a tocha olímpica na última quinta, em cerimônia tradicional realizada na Grécia, berço dos Jogos Olímpicos

Esporte
Data: 24 de abril de 2016
[Créditos: Reprodução/Internet]

A Olimpíadas 2016, que vão acontecer no Rio de Janeiro, só começam em agosto, mas a contagem regressiva foi iniciada quando a chama da tocha olímpica foi acesa na Grécia – berço dos Jogos Olímpicos na antiguidade -, na última quinta, 21.

A aguardada cerimônia teve como palco o Templo de Hera, na cidade de Olímpia, de onde, ao fim do ritual, a tocha acesa partiu em uma longa jornada, que só termina no dia da abertura dos jogos, na cidade maravilhosa, capital do Rio de Janeiro.

No horário de Brasília, às 6:53 da manhã, a chama foi acesa pelas mãos da atriz Katerina Lehou, que, no papel de alta sacerdotisa, utilizou o espelho côncavo que converge raios de sol para um mesmo ponto, a “skaphia”, para dar vida à aguardada flama.

 

Além de Lehou, outros 29 atores e 13 bailarinos - vestidos com trajes típicos da época em que os Jogos surgiram - compuseram o elenco que abrilhantou a tradicional cerimônia. [Créditos: Reprodução/Internet]

Além de Lehou, outros 29 atores e 13 bailarinos – vestidos com trajes típicos da época em que os Jogos surgiram – compuseram o elenco que abrilhantou a tradicional cerimônia. [Créditos: Reprodução/Internet]

 

“A chama olímpica vai espalhar valores de tolerância, solidariedade e paz. Em um mundo abalado por crises, a mensagem de que a humanidade é maior do que as forças que nos separam é mais relevante do que antes”, ressaltou Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional, no discurso que precedeu a cerimônia.

 

 

Tradições

 

Katerina Lehou ainda fez parte de um dos momentos mais importantes do evento, quando, de suas mãos, a chama foi passada para a Tocha Olímpica nas mãos de um atleta grego,segundo a tradição. Neste ano, o ginasta Eleftherios Petrounias, que estará presente nos Jogos Olímpicos, foi o primeiro a segurar a tocha.

Com a ausência da Presidente Dilma na cerimônia, o ginasta se encarregou de transmitir o símbolo, cujo desenho é inspirado na geografia e nas cores do Brasil, ao ex-atleta Giovane Gáveo, bicampeão Olímpico de voleibol e gerente do esporte no Comitê Organizador. Ele comemorou: “Os Jogos são do Brasil!

Da realização em Olímpia ao ato de acender a tocha nas mãos de um grego, a cerimônia, a cada quatro anos, não apenas reconhece como ressalta a importância da manutenção das tradições, seja para lembrar ou mesmo homenagear o papel da Grécia como berço dos Jogos.

Das Olimpíadas em homenagem a Zeus, herdamos ainda a chama que acende a tocha. Símbolo também da paz obtida por meio da trégua sagrada que tomava lugar durante os jogos da antiga Grécia, ela atravessou os séculos e se estabeleceu como uma das maiores pontes entre os Jogos da antiguidade e os modernos, onde adquire, cada vez mais, o próprio simbolismo.

 

tocha1

A chama que acende a tocha remete ao fogo que teria sido roubado de Zeus por Prometeus, que presenteou os seres humanos. Por isso, a chama era, geralmente, mantida acesa em diversos templos gregos durante toda duração dos Jogos. [Créditos: Reprodução/Internet]

 

Passagem

 

 

Após Olímpia, a tocha seguiu viagem pela Grécia, onde deve passar pela cidade de Maratona no caminho até a capital, carregada por 450 condutores em revezamento. A chegada em Atenas marca o fim da passagem da chama pelo território grego, com show do pop star local Sakis Rouvas, no estádio das Olimpíadas Atenas 1896, o Estádio Panathinaiko.

A partir daí, a chama tem passagem programada em Genebra, na Suíça, onde participa de uma cerimônia na sede da ONU [Organização das Nações Unidas], para, em seguida, ser levada ao Museu Olímpico, em Lausanne, sede do Comitê Olímpico em Internacional.

Somente no início de maio, a tocha olímpica desembarca do Rio de Janeiro, para iniciar o revezamento que deve passar por cerca de 300 cidades brasileiras. Entre as cidades visitadas, estão as capitais, como Brasília, Goiânia, Fortaleza, Palmas São Luís e Belém.

A visita da tocha ainda contempla outras cidades, como Imperatriz, Santarém, Londrina, Foz do Iguaçu, Chapecó e muitas outras, passando por todos os estados brasileiros. A lista de cidades que terão a honra das visitas e as datas em que a tocha deve passar por cada uma, você encontra aqui.

Após a passagem por Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, última cidade a ser visitada pela tocha, em 3 de agosto, a chama retorna ao Rio, orgulhoso anfitriao, no dia da abertura dos Jogos, onde permanece, simbólica e tradicionalmente, acesa até o encerramento dos mesmos.

Barbeiro Digital