Osklen e a nobreza do esporte

A pegada esportiva da marca ganha ares de nobreza com aspectos gregos e uma clara alusão aos próximos jogos olímpicos, no Rio de Janeiro

Estilo
Data: 23 de outubro de 2015
carimbo-banner-takahashi-fotosite-barbeariadigital

Os mais fashionistas [assim como os bem menos ousados] talvez não imaginassem um inverno tão esportivo na temporada 2016 da São Paulo Fashion Week – SPFW. E essa tem sido uma grande aposta! As marcas mais comerciais [aquelas que acabam sendo as favoritas dos homens que buscam uma moda mais “comum”, porém com algum diferencial] tem investido no lifestyle esportivo dos brasileiros. Eis a Ellus, e sua coleção Sport DLX; e agora a Osklen, de Oskar Metsavaht.

Aliás, Oskar é médico especializado em Medicina Esportiva e iniciou os trabalhos que dariam origem à grife carioca em 1986, quando desenvolveu o seu primeiro casaco, testado em uma expedição ao monte Aconcágua. O objetivo era realizar pesquisas sobre o condicionamento físico de atletas àquelas condições climáticas.

Quase trinta anos se passaram e a grife reforça suas origens esportivas, dessa vez em uma clara alusão à Grécia [onde surgiram as Olimpíadas, em 776 antes de Cristo] e ao Rio de Janeiro, que recebe a próxima edição dos jogos olímpicos, em 2016.

O Outono/Inverno da Osklen começou minimalista, com o clássico e confortável moletom em preto e branco, e logo depois ganhou presenças inusitadas, como a dos cadarços que subiram dos tênis e laçaram calças e roupões [também de moletom, só que agora com cores] que passeiam entre as peças usadas pelos atletas da natação, judô, boxe…

Os ramos de louro [vindos da mitologia grega e usados como premiação nas Olimpíadas da Grécia antiga] surgiram como adorno na cabeça dos modelos e nas estampas dos moletons verdes. Era o verde e o amarelo ganhando a passarela numa onda goodvibes para os jogos vindouros.

Pegue carona no conforto nobre da Osklen e confira suas apostas para o próximo inverno masculino:

Barbeiro Digital