Na fita do Slackline

O Slackline parece a coisa mais fácil do mundo, até você resolver tentar. Conheça um pouco o esporte e suas modalidades e confira dicas para quem está iniciando.

Esporte
Data: 1 de outubro de 2015
Slackline-Barbearia-Digital

Você já deve ter visto aquela galera se equilibrando e fazendo manobras sobre uma fita na praia. Os leitores mais velhos talvez comparem com corda bamba, mas o nome mesmo é Slackline. Conquistando cada vez mais adeptos, o esporte já tem até campeonato mundial.

Segundo Pedro Rafael Marques, atual recordista mundial de Slackline, o esporte fortalece a musculatura das pernas, abdome, antebraço e trapézio. Mas os maiores benefícios são na mente. “O esporte traz muita paz interior e equilíbrio, ele muda a sua vida. Ele mudou completamente a minha vida”, opina Pedro.

 

Modalidades

 

Existem várias modalidades de Slack, com equipamentos e desafios diferentes. Trickline é aquela modalidade das manobras aéreas, que costuma ser praticada nas praias. Existe também o Highline, que é quando o slack é feito em grandes alturas (travessia entre prédios, montanhas etc); o Longline, cujo foco é a distância percorrida sobre a fita (mais de 30 metros) e o Waterline, que é quando o slack é feito sobre a água, permitindo manobras mais arriscadas com menor possibilidade de lesões.

Embora o Highline e o Longline sejam mais antigos (surgiram lá pelos anos 80), o Trickline foi o que se popularizou mais rápido. Esta modalidade não oferece muitos riscos nem utiliza equipamentos muito caros. A fita pode ser amarrada a apenas 30 cm do chão e tem menos de 30 metros de comprimento. É também a única modalidade onde são realizados campeonatos.

 

Para os iniciantes

 

Independente da modalidade, aprender a se equilibrar sobre a fita é básico. O ideal é começar com uma altura baixa e distância pequena. À medida que você for se aperfeiçoando, poderá fazer distâncias e alturas um pouco maiores e começar a tentar algumas manobras.

Pedro, que trabalha com Slackline, alerta que há lojas esportivas que vendem fitas de caminhão como se fossem para uso no Slack, o que pode oferecer riscos ao praticante. Ele indica comprar a fita numa loja especializada em Slackline, onde os equipamentos são especificamente para o esporte. Para iniciantes, o conselho do atleta é usar uma fita de 10 a 15 metros, da marca Atomic ou Stamm, e uma catraca Ergo 50.

Como todo esporte, o Slack precisa de orientação, não sendo recomendado começar a praticar sozinho. “Se você não souber montar o material de segurança, ela (a fita) pode arrebentar e machucar a pessoa, fraturar uma perna, um braço”, alerta.

O grupo Por um Fio, de Fortaleza, faz treinos abertos ao público nas tardes de sábado e domingo. O objetivo é divulgar o esporte, cobrando apenas uma tacha de R$ 2 para manutenção dos equipamentos. Os praticantes se revezam sobre as fitas e permanecem no treino pelo tempo que quiserem, sempre com o auxilio de alguém do grupo.

Pedro garante que em outras cidades também é comum encontrar quem pratique coletivamente, dividindo fitas e experiências. “É pra incentivar o esporte, uma iniciativa pra molecada aprender”, afirma ele.

– Veja também: Conheça o recordista mundial de Slackline

 

Barbeiro Digital